FAQ Globalização, Emprego e Salários

1. Como os neoclássicos analisam o mercado de trabalho? O que as curvas de oferta e demanda de trabalho indicam?

Para os neoclássicos, o mercado de trabalho, como qualquer outro, é formado de oferta e procura que acabam determinando o preço de equilíbrio – o salário – e a quantidade de equilíbrio – o número de trabalhadores empregados. Para eles, não existe desemprego involuntário, mas o fato de que o salário muito baixo não cobre a sua desutilidade do trabalho.

2. O que o salário paga, segundo os neoclássicos?

Para os neoclássicos, o salário é a recompensa pela desutilidade marginal do trabalho e pela contribuição marginal do trabalhador ao processo produtivo.

3. Quais os tipos de desemprego de acordo com os neoclássicos?

Só há dois tipos de acordo com os neoclássicos: o voluntário ou friccional. No primeiro caso, os trabalhadores desistem de trabalhar porque o salário não paga a desutilidade do trabalho ou do ócio perdido. No último, também chamado de transitório, trata-se de um lapso entre a saída de um posto de trabalho e a ocupação de outro pelo trabalhador.

4. Do que ocorre o desemprego para os keynesianos?

Para eles, o desemprego é de caráter involuntário, típico do capitalismo. É provocado pela deficiência de demanda do capitalismo.

Por demanda entende-se Consumo (C) e Investimento (I). Quando falta consumo ou investimento na economia, parte das mercadorias não é vendida, sua produção é suspensa ou reduzida, provocando desemprego na economia.

5. Por que esse desemprego é visto como involuntário?

Pois essa deficiência não depende do trabalhador, mas das incertezas típicas do capitalismo, que enseja uma preferência pela liquidez. A lógica keynesiana defende que as decisões são descentralizadas e toda decisão deve ser tomada com o que se espera do futuro. Quanto maior for a incerteza e quanto menor o grau de confiança do empresário nas conjecturas da economia, mais inseguro estará para tomar a decisão de investir. Quando o investimento cai, as vendas caem, demissões ocorrem, mais vendas caem, ocorrem mais demissões e assim por diante. Dessa forma, o desemprego não decorre de uma decisão sobre quanto cobrar pela desutilidade do trabalho, como afirmam os neoclássicos.

6. Para os marxistas, o que o salário paga?

Os marxistas não concordam com a concepção keynesiana e neoclássica de que o salário dos trabalhadores paga toda sua contribuição para o processo de produção. Para eles, o salário paga apenas uma parte do que é produzido pelo trabalhador. A outra parte remunera o lucro dos capitalistas.

7. Quais as causas do desemprego segundo os marxistas?

Partindo das concepções marxistas sobre o salário, infere-se que quanto maior o salário, menor o lucro do capitalista. Quando a economia vai crescendo, o salário de mercado tende a crescer. Para que o aumento de salário não reduza seus lucros, os capitalistas buscam métodos de produção que aumentem a produtividade dos trabalhadores contratados, reduzindo relativamente o número de trabalhadores contratados. É o desemprego estrutural ou tecnológico.

8. Quais as consequências do processo de globalização no que se refere a emprego?

A liberalização das economias caracterizou o processo de globalização que se iniciou nos anos 1970, se generalizou nos países desenvolvidos na década de 1980 e chegou ao Brasil na década de 1990. Esse processo conduziu à queda das taxas de crescimento econômico, associada a juros altos, e crescimento do desemprego no mundo. Ao mesmo tempo, observou-se uma queda na massa salarial, no salário real médio e no aumento das desigualdades entre países e regiões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: