Energia – Posições do Brasil

ENERGIA

Estamos tratando (…) de estabelecer as bases para o desenho de políticas
energéticas regionais, que são imprescindíveis para o desenvolvimento
sustentável. A América do Sul é uma das poucas regiões do mundo auto-
suficientes em energia. Agora precisamos trabalhar para que toda a nossa
capacidade hidrelétrica, as abundantes reservas de petróleo e gás e o
potencial dos biocombustíveis sejam plenamente aproveitados. Além de
serem fontes alternativas baratas, renováveis e limpas, o etanol e o biodiesel
oferecem resposta eficaz e inovadora a alguns dos principais desafios de
nossa época. Geram empregos no campo, agregam valor à produção
agrícola, diversificam a pauta exportadora e ajudam a proteger o meio
ambiente.

Discurso do Presidente Lula por ocasião da sessão de
encerramento do Fórum Econômico Mundial sobre a
América Latina. Santiago, 26 de abril de 2007

 

 

BIOCOMBUSTÍVEIS

Tanto o etanol quanto o biodiesel representam alternativas seguras do ponto
de vista energético e ambiental e viáveis economicamente. Devemos trabalhar
juntos para promover a utilização dos biocombustíveis em escala global.

Podemos ajudar países da África, por exemplo, a utilizar essa tecnologia
para superar sua dependência energética e, ao mesmo tempo, gerar empregos
e renda.

Palavras do Presidente Lula por ocasião da cerimônia de
encerramento do Seminário Empresarial Brasil-Reino
Unido. Londres, 8 de março de 2006

* * *

Os biocombustíveis são alternativa economicamente viável e de aplicação
imediata para a substituição parcial dos derivados de petróleo e diversificação
da matriz energética mundial. Seu uso é vantajoso tanto nos países em
desenvolvimento como nos países desenvolvidos. Para países em
desenvolvimento, consumir biocombustíveis significa reduzir sua
dependência das importações de petróleo, melhorar o equilíbrio de suas
balanças comerciais e poupar receita para aumentar seus investimentos em
saúde e educação. Além de proporcionar benefícios ambientais, produzir
biocombustíveis promove geração de renda e contribui para a fixação da
mão-de-obra no campo. Para os países desenvolvidos, o uso de
biocombustíveis é também atraente, pois diminui a dependência de
combustíveis fósseis, contribuindo para a redução de suas emissões de
gases de efeito estufa e garantindo maior segurança energética. Os
biocombustíveis têm potencial de mobilizar investimentos em pesquisa e
desenvolvimento em tecnologias associadas, o que conferirá maior
dinamismo ao processo de mudança de paradigma no uso de energia no
plano global.

Nota à imprensa. “Lançamento do Fórum Internacional
de Biocombustíveis.” Brasília, 28 de fevereiro de 2007

* * *

Os biocombustíveis são uma opção de baixo custo e comprovada
eficiência na transição para uma economia baseada na baixa emissão de
carbono. Ao reduzir essas emissões, os biocombustíveis afastam um grave
dilema: adotar tecnologias de alto custo ou reduzir o ritmo de crescimento
mundial. Essa opção é especialmente dramática para países pobres, que
não dispõem de recursos para adotar tais tecnologias e, ao mesmo tempo,
precisam urgentemente criar emprego, riqueza e renda. Os biocombustíveis
contribuem diretamente para combater a fome e a miséria ao criar
condições para um crescimento econômico sustentável. A experiência
brasileira mostra ser incorreta a oposição entre uma agricultura voltada
para a produção de alimentos e outra para a produção de energia. A fome
no meu país diminuiu no mesmo período em que aumentou o uso dos
biocombustíveis. O plantio da cana-de-açúcar não comprometeu ou
deslocou a produção de alimentos. Na realidade, o cultivo da cana no
Brasil ocupa menos de 10% da área cultivada do País, ou seja, menos de
0,4% do território nacional. Essa área – é bom que se diga – fica muito
distante da Amazônia, região que não se presta à cultura da cana. (…) A
inclusão dos biocombustíveis na matriz energética internacional também
ajudará a eliminar outro preocupante desequilíbrio: 20 países produzem
energia para aproximadamente 200 países. Com a adoção dos
biocombustíveis, mais de 100 países poderão produzir energia,
democratizando seu acesso. Estaremos reduzindo as assimetrias e
desigualdades entre países consumidores e produtores de energia e
prevenindo potenciais conflitos derivados da competição por recursos
energéticos finitos. Por todas essas razões, a solução está em incentivar o
estabelecimento de um mercado internacional para o etanol e o biodiesel.

Discurso do Presidente Lula na Conferência
Internacional sobre Biocombustíveis. Bruxelas, 5 de
julho de 2007

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: