Abandono do estado liberal e o esboço do desenvolvimentismo na America Latina – resumo.

– crise de 29 – também afetou a Am. Lat. As importações cairam pra 1/4 do que era antes. Os paises capitalistas mergulharam no capitalismo para se proteger. Na américa latina iniciu-se um processo de modernização econômica. Cada pais tinha um grupo dirigente que incluiu na diplomacia um senso de conflito de interesses nas relações internacionais.

Modernizadores se miravam nos EUA, mais modernos.

Na AmLat surgem novads demandas, com o crescimento dos centros urbanos e osurgimento da burguesia. Essas demandas também surgem nas forças armadas.

Forças armadas tem influências diferentes em cada país. No Peru socialista, no Brasil, positivista.

Crise do capitalismo, não foi, no entanto, o único fator do reajuste de poder.

ANtes da segunda guerra mundial, houve uma divisão do grupo em blocos antagônicos. Alguns paises da AmLat conseguiram tirar partido desse novo poder de Barganha. Mexico conseguiu nacionalizar o petróleo, enquanto Brasil conseguiu CSN, em 43. Argentina estava alheia a diplomacia de barganha. Argentina tinha tratado com GBR desde 33 que aproximava esses dois paises.

O periodo ficou marcado pelas tentativas de superação da depressão.

America Latina, na guerra, exportou recursos estratégicos.

O liberalismo, favorecia o mercado europeu criava dificuldades para imporação de produtos primários latino americanos. Comepanias de comercio acumulavam os lucros, não os produtores locais. Havia tambem uma preferencia pelos produtos das colônias. Quando não, era abatido por mecanismos europeus de defesa.

Euripeus diziam que as dificuldades da américa latinas estavam na queda dos preços dos produtos primários. Além do livre comércio, GBR exigia o câmbio livre.
Países da Am.Lat começaram a usar a cláusula da nação mais favorecida. ENtre 30-33 Brasil assibou mais de 30 tratados desse tipo. No entanto, os paises europeus recorriam a barreiras não tarifárias. Depois, o Brasil passou a usar tratados de reciprocidade, e fechou um tratado de comércio compensado com a Alemanha.

Usando o comércio com a Europa, em troca de armas e equipamentos indústriais, tornou-se fácil barganhar com este e com EUA, compensar as exportações com créditos e investimentos.

Em 1930, Vargas derrubou a república velha.
No mesmo, ano, Argentina, foi derrubado o governo constitucional para reestabelecer o poder da oligarquia. Argentinos, cada vez mais insatisfeitos com o comércio com GBR, procuravam resultoados recíprocos e desenvolvimento do comércio internacional. Argentina inclusive congelou recursos GBR na Argetina, e disseram que só liberariam quando houvesse um intercâmbio mais equilibrado.

Era dificil reter poupança por aqui. Para atenuar a tereioração dos fluxos econômicos, a partir de 30 fica evidente o controle do câmbio e das remessas para o exterior, tande de indústrias quanto de filiais.

_____________________
URSS
Participou pouco da AmLat na década 30, mas foi importante.
Iuyamtorg era uma S/A da URSS, presente nos EUA, era uma emrpesa comercial. Viam dificuldades no comércio com o Brasil, como ausencia de uma surcunsal da Iuyamtorg no Rio e a dificuldade  de obter crédito no Brasi. Queriam comprar café, cacau, borracha e couros.

Uruguay era o unico pais que reconhecia o governo de Moscow. Colombia reconheceria em 35. Montevideu era sede da unica surcusal da iuyamtorg na América do Sul.

A leitura da diplomacia latino-americana da URSS foi negativa. O medo da contaminaçã comunista, antes mesmo da guerra fria, antes da WWII, mesmo com a vontade de comércio, a repugnância que o comunismo causava era forte. Se associavam a tentativas de implantação de movimentos como a Intentona Comunista. A partir de 35 URSS mudou sua política pra AmLat para o incentivo de Alianças Nacionais Libertadoras. No Brasil, a composição de vários grupos políticos, a ANL, era liberada pelo partido comunista, se uniu a todos os partidos anti-fascitas. Se aproximou do governo de Getúlio Vargas.

______________________
JAPÃO x AmLat 1930

Nos EUA, se falava na invasão japonesa na Am.Sul. Vendiamos produtos agriclas e compravamos medicamentos, municão, vidros, papel e brinquedos muito baratos.

Japoneses agiam como Herbert Hoover. Hoover tentara invadir a Am.Lat comercialmente para alijar Alemanha e GBR, mas não conseguira.

EUA acusavam o Japão de pagar mal seus funcionários.

_____________________
EUA

EUA tinham medo do imperialismo japonês no pacífico e queriam conter penetração política desses, e tambem dos europeus, na ásia.

Big Stick sai de cena e entra Cordell Hull, que visita o continente querendo recompor os estragos nas relacões bilaterais.

Nesse contexto foi possivel espremer alguma compensação satisfatória pela solidaridade continental e da cooperacão de Guerra.

Conferência Mundial e Econômica em Londres em 33 ( questão do abandono do padrão ouro durante da guerra. E agora, o que fazer?!) . Roosevelt chamou paises da Am.Lat para conferência preliminar em Washington. EUA queriam apoio desses paises para defender livre-comércio, sem entraves cambiais, direitos alfândegários, cotas, e medidas estabilizadoras. EUA queriam generalizar a cláusula da nação mais favorecida, sem no entanto acabar com seus próprios instrumentos de proteção alfandegária. O Itamaraty, desde a república velha, era bastante subserviente. América Latina já desconfiava do nosso americanismo.

Créditos Americanos e compensacões da Alemanha favoreceram nossa balança de comércio na época.

______________________
AMERICA LATINA
Brasil obstruiu os intersses da Am.Lat várias vezes. Obstruiu fábricas japonesas na Bolivia em favor de fábricas paulistas, que nunca foram construídas.

A guerra mudou nossa RI na Am Lat.

Governo Roosevelt priorizou Am Lat como nunca antes. A idéia era estabelecer um monopólio de coméricio intra e extra zonal, fornecer créditos às importações e exportações dos EUA na região e usar a moeda americana para estabilizar as moedas latinoamericanas  e desencorajar o comércio compensado.

EXPORTIMPORT / EXIMBANK, financiou as trocas, incrementando o comércio.

Eximbank foi formado em 1934.

Relatório dos EUA dizia as razões que impediam investimentos estrangeiros no Brasil:
– restrições legais pra exploração de petroleo e seu refino, de recursos hidráulicos, constituição outorgada em conflito com o judiciário, restrições as imigracões e entraves da lei se S.A e a colaboração do capital nacional e estrangeiro. A proteção as industrias locais tambem figurava nesse relatorio.

Roosevelt e Vargas passaram o Natal de 43 juntos. Foi visto como reconhecimento da liderança brasileira da Am.Sul com relação aos esforzços continentais de guerra, além de forte demonstração de amizade.

Para americanistas, o prestígio da Brasil aumentou. Nesse momento, Argentina mergulhava num periodo de introspecção (durante o período da Guerra.)

Jornais ingleses classificavam como “sombrias” as relacões.

A taxa cambial desfavorável argentina, era considerada artificial, e o comércio era acusado de ser favorável aos argentinos durante a guerra. Os ricos argentinos eram acusados de nazistas, e de asilar nazistas através da espanha e da austria.

Am.Lat era importante na WWII. Imaginava-se que a América do Sul seria invadida a partir da áfrica, que já estava sendo controlada.

A argentina repugnava o espirito americano. A neutralidade nao era apenas um obatáculo, mas uma oposição, uma verdadeira derrota diplomática de washington. todos menos Oswaldo Aranha estavam contra a Arg. Ele disse que lealdade do Brasil aos EUA seria levada as últimas consequências, sem que isso se estendesse a qualquer hostilidade contra a Arg, oferecendo inclusive seus Bons Oficios.

Quando Peron chegou ao poder, pegou ainda pior para a Arg.

Rel dos EUA com AmLAT dependeu do nivel de adesão a guerra. Foi ineterssante a rel. com México, primeiro a declarar a guerra contra o eixo depois dos eua no continente, e com o Brasil, que tambem cooperou.

RUMO A UM NOVO PARADIGMA

-Incipiente burguesia industrial queriam ampliar negocios, massar urbana ss queriam emprego, intelectuais reclamavam da dependencia, militares se preocupavam com a nossa vulnerabilidade.

Politica Externa visava resolver questoes internas, para o Brasil, isso era promover a industrilização. Foi a raison d’etre da nossa PE.

ISI era mera variável desse processo.

No incio de vargas, a PE ainda se preocupava com conflitos de fronteira. Mas a constituinte em 33 começou a modificar isso. A nova PE seria de comércio exterior, para promover as exportações. Primeiro, ele tentou o liberalismo, revendo tarifas e baseando-se na cláusula do mais favorecidos. Apesar das pressões americanas, ele muda sua politica, voltada a importacao de maquinas. Não se buscava a ISI, mas o crescimento econômico.

1- aumentar exportacoes pra eua
2- facilitar a vinda de amewricanos interessados em estabelecer aqui novas industrias.

1943 – um relacionamento desenvolvimentista surge entre argentina e chile. era o germe de um futuro bloco econômico sulamericano. queriam promover a comercio intrablocos e ampliar seus parques industriais de forma cooperativa. em 46 foi assinado um tratado. assimetris, interesses maiores fora do bloco, contribuiram para malfadar a inciiativa.

Entre 30 e 45 desenvolvimento se tornou o motor da PE Latina.

– consciencia de estarem em transição, com a emergência de novas demandas sociais.
– caráter funcional da diplomacia para garantir insumos.
– entenderam que pela via diplomática, era possível conseguir êxitos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: