Apagão de mão de obra Empresas freiam investimentos diante da falta de pessoal qualificado na região [Nordeste]

em O Globo

RIO e TERESINA – A magia do Sul Maravilha migrou para o Nordeste. Vivendo um boom de investimentos único, a região começa a atrair mão de obra de cariocas e paulistas. Diante de tanto investimento industrial, de infraestrutura e do varejo, estados como Pernambuco e Piauí têm sofrido com a falta de mão de obra especializada, o que está freando novos projetos na região, mostra reportagem de Ramona Ordoñez, Andrea Freitas, Cássia Almeida e Efrém Ribeiro, publicada pelo GLOBO neste domingo. Ao mesmo tempo, a indústria voltada para o mercado interno do Ceará se expande junto com o aumento da renda e do emprego.

– Em Pernambuco, os investimentos até 2015 somam R$ 55 bilhões. Isso representa 71% do PIB (conjunto de bens e serviços produzidos) do estado, que é de R$ 77 bilhões – diz a economista Tania Bacelar, professora da Universidade Federal de Pernambuco.

Sofrendo com a concorrência por mão de obra de projetos grandiosos como as hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira, em Rondônia, a Eletrobras reduziu investimentos no Nordeste e também no Norte. O presidente da estatal, José Antônio Muniz Lopes, afirmou que isso ocorreu em duas empresas do grupo: a Eletrobras Distribuição Piauí e a Eletrobras Distribuição Rondônia. A companhia do Piauí planejava investir R$ 800 milhões em 2010, e só conseguiu gastar pouco menos de R$ 500 milhões.

A falta de pessoal é tão grande no Piauí que a distribuidora treinou agricultores e seus filhos para trabalharem no setor elétrico. A Eletrobras de Rondônia tem um déficit de mão de obra de 45%:

– Nós disponibilizamos todos os recursos para o Luz para Todos no Piauí, e nos deparamos com a falta de pessoal para tocar as obras.

Faltam engenheiros elétricos, eletricistas, técnicos de fiscalização, entre outros. A distribuidora do Piauí chegou a fazer um concurso público para preencher 30 vagas de engenheiro elétrico, mas somente três se inscreveram. Segundo Muniz, além dos projetos em Rondônia, a competição é acirrada também em Pernambuco, com as obras de transposição do Rio São Francisco, a Transnordestina, a duplicação da BR-101, além da construção da refinaria Abreu e Lima, da Petrobras, e o Estaleiro Atlântico Sul, ambos em Pernambuco.

– Além do Atlântico Sul, há mais dois estaleiros em construção, uma siderúrgica, uma montadora da Fiat, uma petroquímica e um conjunto imobiliário de R$ 5 bilhões somente na Região Metropolitana de Recife – afirmou Tania Bacelar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: