Estudo para Economia – Formação Econômica Brasileira (1979-2010) – parte I

Situação da economia brasileira no fim da década de 1970

  1. 2o Choque do Petróleo reverte condições de financiamento internacional (aumento dos juros e do serviço da dívida externa)
  2. Deterioração da situação fiscal
    • redução da carga tributária bruta
    • aumento do volume de transferências (aumento dos juros da dívida interna)
    • estatais como foco de déficits
    • Orçamento monetário como foco de déficits
  3. Choques de oferta externa (ex. petróleo) e déficit público gera pressão inflacionária
    • Ex. 1979, inflação de 77% a.a.
  4. Mudança de governo para Figueredo

Simonsen propõe choque ortodoxo, mas situação se deteriora e Delfim Netto assume a SEPLAN com:

  • discurso desenvolvimentista
  • combate à inflação com crescimento econômico
  • reedição do Milagre

Principais medidas adotadas:

  1. controle da taxa de juros
  2. expansão do crédito para agricultura
  3. criação da Secretaria Especial das Empresas Estatais (SEST) para controlá-las e para aceleração do reajuste de tarifas (numa reedição da inflação corretiva da época do PAEG)
  4. eliminação de alguns incentivos fiscais às exportações, do depósito prévio das importações e revogação da Lei do Similar Nacional
    • Visava controlar o mercado externo através de política cambial e tarifária
  5. estímulo à captação externa (diminuição dos impostos sobre remessa de juros)
  6. maxidesvalorização de 30% do Cruzeiro
  7. prefixação da correção monetária e cambial em 50% e 45% respectivamente
  8. aprovação de nova Lei Salarial
    • instituia semestralidade para reajustes salariais
    • instituia reajustes diferenciados por faixas salariais

Resultados:

  • aceleração inflacionária para 100% a.a. pelo aumento dos preços públicos, da semestralidade salarial e da maxidesvalorização
  • recrudescimento da maior crise do pós-guerra
    • 2a crise do petróleo
    • elevação das taxas de juros internacionais
    • políticas mostram-se ineficazes
      • aceleração inflacionária
      • deterioração das contas externas
      • aumento da dívida externa
      • perda de reservas
  • acentuação do processo especulativo pela:
    • maxidesvalorização cambial
    • prefixação provocou grande perda de ativos financeiros

Crise da Dívida Externa

Piora na situação já em 1980 faz Brasil adotar Ajuste Voluntário.

O diagnóstico era de que havia um excesso de demanda interna, portanto, medidas eram no sentido de se reduzir necessidade de divisas por meio de controle da absorção interna.

Quais eram os problemas com a dívida externa?

  • “Supply Side Economics” ou “Reaganomics”
    • redução do tamanho do Estado, leva a…
    • diminuição de gastos e de impostos, fazendo com que…
    • situação fiscal nos EUA de deteriore, levando o governo a…
    • aumentar violentamente taxa de juros para se financiar.

Consequências internacionais:

  • Setembro Negro em 1982
    • Insolvência de Argentina e Polônia
    • Moratória Mexicana
    • Rompimento do fluxo financeiro para países em desenvolvimento

Ajuste Fiscal no Brasil

Feito de forma voluntária desde 1980 e, depois de 1982, sob tutela do FMI. As políticas adotadas foram:

  1. Contenção da demanda agregada por meio de:
    • redução do déficit público (redução dos gastos)
    • aumento das taxas de juros interna e restrição ao crédito
    • redução do salário real por meio de subindexações
  2. Tornar a estrutura de preços relativos favorável ao setor externo
    • intensa desvalorização real do Cruzeiro
    • estímulo à competitividade da indústria por meio de subsídios e incentivos à exportação

Resultados:

  • Recessão de 1981 e 1983, baixo crescimento em 1982
  • Queda da renda per cápita
  • aceleração da inflação
  • bons resultados no comércio exterior (superávit recorde em 1984)
  • atesta-se bom resultado do II PND que permitiu amplo processo de substituição de importações e criou setores com competitividade externa
    • eliminou-se o Desequilíbrio Congênito: a tendência de déficits decorrentes da expansão econômica

no próximo installment, o glorioso Governo de José Sarney!

Comments
One Response to “Estudo para Economia – Formação Econômica Brasileira (1979-2010) – parte I”
  1. Manoel Giffoni disse:

    Peguei meu antigo caderno q tem todos esses resumos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: