Terrorismos

O terrorismo é visto hoje por alguns paises como a principal ameaça a segurança internacional. Ele mostra as fragilidades das potenciais ocidentais que, mesmo com sua esmagadora superioridade militar, são vulneraveis a ataques. Não se passa um dia sem que a mídia ocidental toque nesse assunto.

Os analistas de hoje tendem a explicar na TV o terrorismo como sendo fanatismo religioso, essa visão não corresponde ao que a historia nos ensinou. Os primeiros atentados terroristas foram feitos pelos Niilistas (como Nietzsche), e pelos Anarquistas. No oriente-próximo, militantes sionistas que queriam o estado de israel  lutaram dessa forma contra ingleses e palestinos para garantir que o veredito da liga das nações fosse respeitado. Dos paises bascos a Irlanda, o atentado ultranacionalista em Oklahoma City em 95 pelos tigres tamios do sri lanka, sem falar do terrorismo que assolou toda europa desde a década de 70 mostram algo diferente. São razões politicas que se encontram por trás do terrorismo. É ridiculo reduzir o terrorismo à questão religiosa, e o Corão condena o terrorismo.

No contexto da descolonização, a ONU considerou legitimo o uso do terrorismo, que foi considerada legitima defesa contra o imperialismo.

No final do dia, a idéia por trás do terrorismo é chamar a atenção para alguma questão e levantar debates ideológicos. O fim é geralmente propagandistico de alguma situação. Alguns grupos usam terrorismo como meio de pressionar seus governos . Desde os ataques da OTAN contra o Afeganistão que mataram centenas de civis inocentes, também tem se falado em “Terrorismo de estado”.

O terrorismo é uma resposta às assimetrias militares do mundo e muitas vezes tem resultados negativos. Alguns atentados terroristas, como o 11 de setembro, acaba por transformar em vilões esses militantes, dado o repúdio da sociedade civil por atos de violência e, mesmo que defendendo uma causa justa, os terroristas acabam sendo vistos como assassinos terroristas do mal, o que não deixam de ser.  Nesse caso, os ataques não conseguem obter resultados concretos em prol da causa.

Para controlar os ataques terroristas, nao basta empregar astúcia militar, mas buscar respostas políticas capazes de fazer as infelicidades desaparecerem. O terrorismo é fruto da frustração, do ódio e do sentimento de impotencia diante de impasses políticos. No caso do Iraque, usou-se intervenção militar para afastar Saddam Hussein do poder e caçar os terroristas, depois, uma estratégia de longo prazo visa por fim ao impasse político e permitir que floreça uma nova sociedade não problematica. (meus bocejos nesse final.)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: