As relações norte / sul

Os fundamentos da ideologia do desenvolvimento apareceram com o final da II guerra mundial, na carta das nações unidas e na declaração da ONU de 1960 (direito ao desenvolvimento), com a ideia de uma indepentencia economica alem da independencia politica. As relacões norte e sul hoje podem ser descritas como relcões de dependencia, particularmente economica, que existe em diferentes níveis, e se reenforçou com o passar dos anos, a ponto de impor ao mundo uma nova ordem de bipolaridade.

Com a détente leste / oeste e a crise econômica fez sair de cena o movimento do terceiro mundismo. O sul entrou em recessão, com endividamento excessivo e entrou numa era de militarismos e divisões políticas, enquanto os paises do norte se lançaram na globalização.

________________________
TERCEIRO MUNDISMO

O terceiro-mundismo é uma corrente no pensamento político de Esquerda política que considera a divisão entre nações desenvolvidas, classicamente liberais, e e nação em desenvolvimento, ou do “terceiro mundo” de grande importância política. O terceiro-mundismo costuma promover o apoio a nações-estado do terceiro-mundo ou movimentos de libertação nacional contra nações ocidentais ou seus “representantes”. O embasamento teórico desse ponto de vista é a visão de que o capitalismo contemporâneo é essencialmente imperialista. Assim, a resistência ao capitalismo implicaria resistência aos avanços das nações capitalistas avançadas sobre as outras.

Dentre as figuras mais importantes do movimento terceiro-mundista estão: Frantz Fanon, Ahmed Ben Bella, Andre Gunder Frank, Samir Amin e Simon Malley. A Nova Esquerda levou à uma explosão de apoio ao terceiro-mundismo, especialmente depois do fracasso dos movimentos revolucionários nos países desenvolvidos, como os acontecimentos de maio de 1968. Dentre os grupos e movimentos dentro da Nova Esquerda associados ao terceiro-mundismo estão a revista marxista americana, Monthly Review, e o Novo Movimento Comunista; mais recentemente a ONG malaia Third World Network

A Conferência de Bandung e a criação do Movimento Não-Alinhado representaram vias de disseminação de políticas terceiro-mundistas no século XX. O terceiro-mundismo também está intimamente relacionado aos seguintes movimentos: Pan-Africanismo, Pan-Arabismo, Maoismo, Pan-Eslavismo, socialismo africano e a variedade de comunismo associada a Fidel Castro. Movimentos de libertação nacional como a Organização para a Libertação da Palestina, os sandinistas e o Congresso Nacional Africano tem sido causas célebres do terceiro-mundismo.

Mais recentemente, o terceiro-mundismo ganhou novas forças com o Fórum Social Mundial e na Conferência do Cairo contra a Guerra. No Brasil, tem sido frequentes as críticas à política externa do governo Lula.

Jean Coussy considera o terceiro-mundismo recente completamente diferente do seu primeiro momento, por não se buscar romper com a ordem capitalista, e sim “aproveitá-la da melhor maneira”

________________________
MAIO DE 68

Em Maio de 1968 (neste contexto usualmente se diz Maio de ’68) uma greve geral aconteceu na França. Rapidamente ela adquiriu significado e proporções revolucionárias, mas em seguida foi desencorajada pelo Partido Comunista Francês, de orientação Stalinista, e finalmente foi suprimida pelo governo, que acusou os Comunistas de tramarem contra a República. Alguns filósofos e historiadores afirmaram que essa rebelião foi o acontecimento revolucionário mais importante do século XX, porque não se deveu a uma camada restrita da população, como trabalhadores ou minorias, mas a uma insurreição popular que superou barreiras étnicas, culturais, de idade e de classe.

Começou como uma série de greves estudantis que irromperam em algumas universidades e escolas de ensino secundário em Paris, após confrontos com a administração e a polícia. À tentativa do governo de de Gaulle de esmagar essas greves com mais ações policiais no Quartier Latin levou a uma escalada do conflito que culminou numa greve geral de estudantes e em greves com ocupações de fábricas em toda a França, às quais aderiram dez milhões de trabalhadores, aproximadamente dois terços dos trabalhadores franceses. Os protestos chegaram ao ponto de levar de Gaulle a criar um quartel general de operações militares para lidar com a insurreição, dissolver a Assembléia Nacional e marcar eleições parlamentares para 23 de Junho de 1968.

O governo estava próximo ao colapso naquele momento (de Gaulle chegou a se refugiar temporariamente numa base da força aérea na Alemanha), mas a situação revolucionária evaporou quase tão rapidamente quanto havia surgido. Os trabalhadores voltaram ao trabalho, seguindo a direção da Confédération Générale du Travail, a federação sindical de esquerda, e do Partido Comunista Francês (PCF). Quando as eleições foram finalmente realizadas em Junho, o partido Gaullista emergiu ainda mais poderoso do que antes.

A maioria dos insurretos eram adeptos de idéias esquerdistas, comunistas ou anarquistas. Muitos viram os eventos como uma oportunidade para sacudir os valores da “velha sociedade”, dentre os quais suas idéias sobre educação, sexualidade e prazer. Uma pequena minoria dos insurretos, como o Occident, professava idéias de direita.

O fim da guerra fria e as desmilitarizacões deixou os países à propria sorte. No Afegasnitão, as eleições levaram ao poder o regime talibã, a situacão dentro de alguns paises se mostrou grave, mergulhados em guerrilhas, regiões foram largadas no caos. O caos ornou essas regiões instáveis demais para receber investimentos extrangeiros, o que colaborou para seu empobrecimento.

A pobreza atinge especificiamente os individuos, e não necessariamente os estados. As trocas do pós guerra fria diminuiram a participação do estado nos assuntos internos, desde então o empobrecimento direto do individuo em detrimento do embobrecimento do estado se tornou comum.

A idéia da aldeia global, onde os individuos podem aproveitar diretamente da rede internacional para melhorar seu padrão de vida se mpstrou aí uma fábula,  visto que a globaliacão colaborou com a exposão das desigualdades no interior dos países.

Os paises do sul não podiam ser economicamente comparados aos do norte e nem entre si, somente suas evoluções sociais os distinguiam:

– forte crescimento demográfico
– arquipélagos de miséria
– cidades gigantes sem ordenamento urbano, saneamento, condições.
– ruína ecológica.
– proliferação do setor informal
– corrente emigratória na direção do norte.

A relação assimétrica estigmatiza discursos odiosos e revanchistas e atiçam a violência. O agravamento das desigualdades rompem em grupos diferentes que compõe a sociedade. A ausência de interesse comum desestimula a solidariedade entre as partes. Esta tendencia tem por consequencia a erosão da coesão social e se amplifica no interior dos estados quando há diferentes grupos étnicos envolvidos.

Palco de guerras, fomes, catastrofes naturais,  o sul assusta. Pode transmitir epidemias para o norte, os conflitos e a miseria trazem um sem fim de imigrantes para o norte envelhecido, é por isso que o norte tenta se proteger usando uma fronteira tangível, que nunca pode se abrir completamente. Também os estados do norte precisam assumir sua parte na conta.
O norte deve encontrar um jeito de colaborar com o desenvolvimento dos países do sul, o projeto de reverter 0,7% do PIB foi raramente aplicado e é preciso definir novos aproaches. há quem acredite que o esforço deveria ser no sentindo de desenvolver as economias regionalmente.

Palco de guerras, fomes, catastrofes naturais,  o sul assusta. Pode transmitir epidemias para o norte, os conflitos e a miseria trazem um sem fim de imigrantes para o norte envelhecido, é por isso que o norte tenta se proteger usando uma fronteira tangível, que nunca pode se abrir completamente. Também os estados do norte precisam assumir sua parte na conta.
O norte deve encontrar um jeito de colaborar com o desenvolvimento dos países do sul, o projeto de reverter 0,7% do PIB foi raramente aplicado e é preciso definir novos aproaches. há quem acredite que o esforço deveria ser no sentindo de desenvolver as economias regionalmente.
Washington, desde o 11 de setembro, tem feito outras propostas. Na cúpula de monterrey sobre desenvolvimento sustentavel em 2002, sugerindo que emprestimos substituissem doacões de forma a diminuir a dependencia de certos estados por doações. Entre os pontos levantados por washington, estão:
– necessidade de privilegiar a economia de mercado
– concentrar as ajudas sobre o ensino e a saíude
– bloquear recursos fornecidos a governos corruptos (com excessao das ajudas humanitarias)
– organizar pesquisas nas regioes mais carentes para descobrir quais os programas locais tem maior sucesso.

Esse projeto NAO REPRESENTA CONSENSO entre os paises do norte. Alguns paises seriam beneficiados pelas doações e outros não, etc. O principio do micro-desenvolvimento tem muitos adeptos e permite que o norte faça ajudas localizadas. No fim do dia qualquer uma das aproximaçõ˜es não permitem um desenvolvimento durável.
Durante a guerra fria o o terceiro mundo conseguiu se constituir pouco a pouco como entidade politica, sugerindo uma terceira via para o conflito leste / oeste. A particularidade do sul é a ausencia de homogeinidade política. Os encontros em Porto Alegre onde estados pobres buscavam novos parceiros mostra o surgimento de uma consciencia coletiva.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: